No Eu Confesso você desabafa em TOTAL ANONIMATO O que espera? Desabafe! Clique no botão à direita.

pub: Você gostaria de saber todos os dados técnicos sobre um site específico? Você tem curiosidade em saber qual o tráfego ou lucro de um site?

Agora é possível e sem custos. Clique aqui e indique o domínio ou endereço do site.

Vocês acreditam em alma gêmea?? Feminino

Confissão ID: 182867 - Por favor LEIA PRIMEIRO o texto antes de votar. Obrigado.

Partilhar: Facebook Twitter Linkedin

Quando eu tinha 11 anos, entrou um garoto novo na minha escola. Eu lembro muito bem da primeira vez que eu o vi. Eu estava numa salinha onde ficam as bolas e os coletes da educação física conversando com a minha amiga. Uma hora, eu virei pra esquerda e nesse exato momento um garoto passou pelo corredor, descendo as escadas. Ele olhou pra mim rapidamente e seguiu andando. Eu não consegui ver quem era, afinal, nunca tinha o visto antes. Dois segundos depois ele voltou e ficou me encarando com a boca aberta. Eu não sei explicar direito o que eu senti... Meu coração batia tão rápido que eu nem escutava mais o que minha amiga falava, meu estômago começou a revirar e era como se o mundo todo tivesse parado. Aquela pessoa que eu nunca havia visto, do nada me pareceu tão familiar. Parecia que eu o conhecia desde antes que nasci... Foi um sentimento muito estranho. Eu fiquei o dia, a semana, o mês todo pensando nele. Mas naquela época eu jamais ia pensar nessas coisas de alma gêmea, pra mim era só amor á primeira vista, eu era muito criança ainda pra pensar nisso.
Como ele não era da minha turma, eu o via apenas no recreio ou nas excursões da escola. Das poucas vezes que a gente se falou, eu sentia que ele ficava meio nervoso, sei lá.. Quando a gente conversava era como se eu já soubesse tudo sobre ele.
Eu fiquei o ano inteirinho guardando os meus sentimentos só pra mim. Até que um dia, na biblioteca eu estava estudando com as minhas amigas e ele estava estudando com os amigos dele. Eu não me aguentei mais e simplesmente FALEI.
Depois desse dia foi como se toda a minha felicidade acabasse de uma vez. Os amigos dele riram tanto da minha cara... Ele ficou um tempo olhando pra mim e depois saiu correndo.
Passaram uns dias e o sexto ano inteiro já sabia. Uma amiga minha da sala dele me contou que ele havia dito pra todo mundo que eu era feia, esquisita e idiota. Eu fiquei tão mal com aquilo que nem queria mais ir pra escola. Eu não entendia porque ele era tão maldoso. Tudo bem que eu era meio feia mesmo e não tinha corpo de adolescente que nem as outras meninas, mas por que ele tinha que jogar isso na minha cara e me desprezar que nem ele fez?
Depois disso, eu tomei ódio dele. Não aguentava nem ver passando pelo corredor.
Passaram-se os meses e eu ia pro sétimo ano. Minhas amigas me contaram que ele estava na minha turma, só faltou eu vomitar. Percebi que era a minha chance de mostrar pra ele o que ele perdeu. Passei a me cuidar mais, comecei a malhar, fazer esportes. No final das férias eu tava com um corpinho bonitinho, andava cheirosinha...
Eu passei os 2 meses e meio de férias pensando em como eu ia detonar a cara dele.
Foi muito difícil pra mim ficar vendo ele todos os dias na escola e me lembrar de como ele riu da minha cara e me chamou de um monte de coisa. E foi mais difícil ainda chamar a atenção dele. Até que ele tava resistindo bem. Não me olhava nem trocava uma palavra comigo nem que fosse obrigado. O tempo ia passando e os sentimentos estavam voltando, e eu odiava isso. Mas não dava pra aguentar, ele era muito bonito e o sorriso dele mais ainda. E o sentimento de que eu já o conhecia só aumentava. Chegou no meio do ano e os professores não aguentavam mais a nossa bagunça então colocaram lugar marcado na sala. E adivinha quem caiu justamente na cadeira do meu lado? Claro que tinha que ser ele. Daí não tinha como ele me ignorar. Eu puxava um assunto aqui, outro assunto ali... A gente foi ficando bem próximos, a intimidade aumentando. E eu não sabia mais o que fazer pra esconder. Quase que estava escrito na minha testa o quanto eu amava ele.
Só que eu ODIAVA amar ele...
Eu ME odiava por estar me torturando mais uma vez.
Porque eu tinha que gostar logo dele? De repente era um sentimento tão forte que eu não conseguia mais controlar. E todo mundo da turma conseguia enxergar também que ele gostava de mim. Mesmo quando a professora tirou o lugar marcado, ele continuava sentando do meu lado. Ficava me olhando toda hora com aquele olhar perdido de quem tá apaixonado.. E sabe quando um garoto gosta de uma garota, mas não sabe chegar nela então fica zoando ela? Botando apelido, roubando as coisas dela só pra irritar, rindo da cara dela o tempo todo? Era exatamente isso que ele fazia. Quando eu tava andando na escola sozinha, ele se escondia e ficava chamando o meu nome só pra eu ficar que nem uma louca procurando, Pisava no meu pé "sem querer", brincava de lutinha comigo...
Mas todo mundo via que o jeito dele falar comigo era diferente do que ele falava com as outras garotas. E eu me sentia especial... De tanto conviver com ele, ele foi se abrindo pra mim, me contando os problemas da vida dele... E eu dava conselho pra ele. A melhor parte do meu dia era ver ele na escola. Por que eu tinha tantos problemas em casa e era só chegar na escola e sentar do lado dele, pro meu dia melhorar de uma hora pra outra.
Até que chegou novembro e junto chegaram os últimos dias de aula. Ele me falou que talvez ia mudar de escola, então eu percebi que não podia perder tempo, pedi para um amigo meu, que também era amigo dele, contar que eu gostava dele. Foi isso que ele fez. Um dia quando eu estava esperando minha mãe me buscar junto com a minha melhor amiga, esse meu amigo veio conversar comigo. Ele disse que o garoto falou que não gostava de mim de verdade, só fazia aquelas coisas pra me iludir, que na verdade gostava da Cecília, uma garota da nossa sala. Falou também que eu era feia: não alisava o cabelo, tinha espinhas e usava aparelho fixo. Na hora, eu não acreditei, até ri, zoei e passei o resto do dia normal, feliz. Foi na hora que eu deitei pra dormir, que finalmente as palavras do meu amigo entraram na minha cabeça. Era como se o mundo tivesse caído. Aquilo não podia ser verdade. Eu realmente fui burra de amar uma pessoa tão estúpida por 2 anos?! Acho que aquele foi o dia que eu mais chorei na minha vida.
As aulas acabaram e eu passei as férias todas sem pensar nele, só me dedicando á EU mesma. O que eu deveria ter feito o ano inteiro. Fiquei tanto tempo pensando nele durante o período das aulas que nem me dediquei ás coisas que eu realmente gosto. E foi isso que eu passei a fazer no meu tempo livre. Vi filmes, li livros, fui á praia, viajei com as minhas amigas, passei um tempo com a minha família, cuidei da minha aparência, CUIDEI DE MIM. FUI EU MESMA. ME SENTI LIVRE.
Quando as aulas voltaram, Graças á Deus eu não caí na turma dele. Só de eu ter feito as coisas que eu gosto, parece que eu fiquei mais bonita. Antes eu era tão preocupada de estar sempre de maquiagem, cheirosa pra ELE que eu ficava mais feia ainda. Porque aquela NÃO ERA EU DE VERDADE.
Então depois que eu passei a me amar do jeito que eu sou, eu fiquei mais bonita. Chegou a hora de tirar o aparelho, comecei um tratamento contra as espinhas (que em 2 meses já sumiram), passei á alisar o meu cabelo: NÃO POR CAUSA DELE, E SIM POR QUE EU ME SENTIA MAIS BONITA.
No oitavo ano, ele vivia atrás de mim, perguntando de mim pras minhas amigas, me dando Oi nos corredores da escola (e sendo ignorado todas as vezes), olhando para mim com aquela cara de bobo apaixonado. Uma pena que eu não caio mais nessa. Quando via ele, eu continuava suando frio e meu coração ainda acelerava, mas eu não acreditava mais em nada que dizia. Até hoje eu me pergunto se a gente tinha algum ligamento, sei lá. Por que era algo MUITO forte. Era como se eu não conseguisse ficar muito tempo sem ele. Era um amor muito real. Uma vez uma tia minha que é meio vidente, escutou essa história e disse que a gente se conhece de vidas passadas... Não sei se acredito nisso, mas já cheguei á cogitar essa história.
Hoje em dia eu já estou com 21 anos e até hoje ele me procura, diz que sente MUITO a minha falta, que eu era TUDO pra ele, que não consegue viver sem mim, disse que desde a primeira vez que me viu ele se apaixonou só que tinha MUITA vergonha de falar, pede desculpas pelo jeito que ele me tratou e diz que nunca vai achar uma menina como eu, por que eu sempre ouvia os problemas dele, fazia ele sorrir. Até chegou á dizer que foi á uma cartomante recentemente e antes dele até mesmo dizer seu nome, a primeira coisa que a mulher disse foi que ele havia reencontrado a alma gêmea dele á muito tempo, porém ele desprezou-a e agora será difícil de reconquistá-la, mas como estão destinados á ficarem juntos, tudo dará certo no final.
Eu não sei se dou uma chance pra ele, talvez futuramente... por enquanto eu estou bem sozinha.
Só quero ver como vai ser o final dessa história.

Texto desabafado por Jay , em Segunda, 06 de Novembro de 2017
ÁUDIO: OUVIR O TEXTO - clique em OUVIR O TEXTO e aguarde um pouco - Pausar - Retomar - Parar
Quanto maior o texto, mais tempo demora a começar a leitura. Por favor aguarde.
  • Você já leu todo o texto? Por favor vote este desabafo, clicando nas estrelas. Jay agradece.
Atualmente é quase humanamente impossível ler todas as novas confissões que são publicadas diariamente. Se você considera que esta confissão é ilegal, não está de acordo com as regras (*) do Eu Confesso [* regras listadas na página de publicação de confissões] ou ultrapassa todos os limites do razoável, por favor relate, utilizando o link REPORTAR ABUSO. Obrigado pela sua colaboração.
[ Tags ] leia mais sobre: amor     Alma Gêmea     namorado     Escola     paixao    

Comentários ao Desabafo de Jay

Por favor seja construtivo nos seus comentários.

0
0
0
0