No Eu Confesso você desabafa em TOTAL ANONIMATO O que espera? Desabafe! Clique no botão à direita.

pub: Você gostaria de saber todos os dados técnicos sobre um site específico? Você tem curiosidade em saber qual o tráfego ou lucro de um site?

Agora é possível e sem custos. Clique aqui e indique o domínio ou endereço do site.

EU ODEIO MEU PADRASTO Feminino

Confissão ID: 165432 - Por favor LEIA PRIMEIRO o texto antes de votar. Obrigado.

Partilhar: Facebook Twitter Linkedin

Minha mãe fugiu da casa do meu pai quando eu tinha 5 anos, e foi morar em São Paulo com meu padrasto e me levou junto... desde então eu senti muito falta do meu pai e do meu irmão, afinal eu era uma criança e não entendia nada do que estava acontecendo. Meu padrasto sempre me respeitou nunca me bateu, mas um dia ele me forçou a dar um beijo nele (ele estava bêbado ), eu tinha mais o menos uns 7 anos, ele era mais forte que eu me pegou com força e me beijou. Eu nunca falei isso pra minha mãe . Aparti desse dia eu fiquei um pouco retraída quando ele estava perto. Mas o tempo foi passando e ele nunca mais fez nada comigo, mas fez com a minha mãe. Eu sei que ele traiu ela várias vezes e bateu nela várias vezes também, mas ela nunca assumiu isso. Presenciei 2 vezes ele agredindo ela, fisicamente e verbalmente. Fez muitas ameaças dizendo que ia matar ela se não ficasse com ele. Enquanto a mim, ele ficava iludindo a minha cabeça, dizendo que meu pai não gostava de mim e que agora ele era meu pai , e que se a minha mãe voltasse pra Pernambuco meu pai ia mandar mata-lá. E eu, uma criança inocente acreditava, ficava com medo que minha mãe se separasse dele. Por muito tempo eu e minha mãe ficamos pressas dentro de casa, e ele ficava fazendo medo pra a gente não sair. Comecei a estudar e as coisas foram melhorando, comecei a ver gente nova, fazer amizade na escola. Era a única vez que eu saía, pra escola. Não tínhamos o direito de sair pra passear. Mas tínhamos que nos acostumar com essa vida, não tinha saída! Minha mãe sempre falava com a minha avó aos domingos. Minha mãe pediu para que minha avó falasse com o meu pai para que ele mandasse minha pensão, todo mês meu pai depositava 70 reais na conta do meu padrasto, pois minha mãe não tinha conta no banco e nem ele deixava ela ter. Porém quem ficava com o dinheiro muitas vezes era ele. Minha mãe pegava nesse dinheiro poucas vezes, e eu só comprava roupa nova uma vez por ano. Passamos por muitas situações, já tivemos uma vida favoravel e também já passamos fome. Moramos em São Paulo 8 anos. Retornamos para Pernambuco e eu fui morar com o meu pai, enfim encontrei a liberdade, agora eu podia ir para festas, passear com os meus primos fazer novas amizades e trazer minhas amigas em casa (coisa que antes eu não tinha direito). Só tinha um problema, minha mãe ainda continuava com ele 😕. Ele não batia mais nela, mas continuava controlando cada passo que ela dava. Eu tinha muita pena da minha mãe, e ainda tenho, queria mudar a vida dela, queria que ela fosse uma pessoa livre como eu sou. Isso me deixa muito deprimida, cabisbaixo, triste. Sei que não foi certo o que ela fez com meu pai, mas ela me deu a vida e sempre fez tudo por mim. A medida que eu fui crescendo eu fui percebendo que o meu padrasto não era uma pessoa que dava segurança pra a gente, e sim, MEDO! Morei 6 anos com o meu pai, a gente não estava se dando bem, então resolvi morar novamente com minha mãe e meu padrasto. Achei melhor ter voltado a morar com a minha mãe pra ela ter um ombro amigo e com quem desabafar. terminei meus estudos mas ainda não arrumei um emprego, estou dependendo deles... Hj em dia ele esta pior do que nunca, manipulador, ignorando, agressivo em palavras, e muito ciumento com a minha mãe. Ele fica com ciúmes quando minha família e meus primos veem aqui em casa por que minha mãe dá muita atenção. As vezes sinto que ele não gosta de ver ela feliz, gosta de ver ela derrotada e chorando. Enquanto eu, apenas finjo gostar dele, finjo ser feliz e viver em paz, mas sofro muito em ver a minha mãe sofrer... Meu maior desejo é trabalhar para dar uma vida melhor a ela, fazer a minha faculdade e poder dar a casa própria que ela tanto sonha. Na verdade o meu maior desejo era que ele sumisse da vida dela pra sempre. EU ODEIO MEU PADRASTO!

Texto desabafado por Andréia Silva , em Quinta, 06 de Abril de 2017
ÁUDIO: OUVIR O TEXTO - clique em OUVIR O TEXTO e aguarde um pouco - Pausar - Retomar - Parar
Quanto maior o texto, mais tempo demora a começar a leitura. Por favor aguarde.
  • Você já leu todo o texto? Por favor vote este desabafo, clicando nas estrelas. Andréia Silva agradece.
Atualmente é quase humanamente impossível ler todas as novas confissões que são publicadas diariamente. Se você considera que esta confissão é ilegal, não está de acordo com as regras (*) do Eu Confesso [* regras listadas na página de publicação de confissões] ou ultrapassa todos os limites do razoável, por favor relate, utilizando o link REPORTAR ABUSO. Obrigado pela sua colaboração.
[ Tags ] leia mais sobre: liberdade     prisão     tristeza     mãe     Paz    

Comentários ao Desabafo de Andréia Silva

Por favor seja construtivo nos seus comentários.

0
0
0
0