No Eu Confesso você desabafa em TOTAL ANONIMATO O que espera? Desabafe! Clique no botão à direita.

pub: Coloque a sua dúvida e surpreenda-se com a resposta. Clique para visitar o Eu Pergunto:

Respondida: Qual a distância percorrida por um carro que se desloca a 185km/h depois de 4,8h?

Determine as coordenadas?

Acho que fui abusa pelo meu próprio pai Feminino

Confissão ID: 123213 - Por favor LEIA PRIMEIRO o texto antes de votar. Obrigado.

Partilhar: Facebook Twitter Linkedin

Eu confesso que acho que fui estuprada quando era criança e apaguei isso da minha mente. Vou contar a situação. As pessoas acham que eu sou rancorosa, mas não é verdade, sou apenas orgulhosa (em apenas poucos casos). Mas se a pessoa vier me pedir desculpas eu vou cair em lágrimas e aceitar as desculpas na hora (a não ser que essa pessoa tenha feito algo muito ruim). Você não acha que é estranho uma pessoa coração mole como eu sentir nojo e indiferença pelo próprio pai? Olha, tem muitas pessoas que eu sou indiferente, mas apenas aquilo que todo mundo sente: quando você não tem intimidade com uma pessoa e não liga muito pra ela você é indiferente á ela, mas isso não quer dizer que você sinta nojo, que você não quer que ela apareça mais na sua vida e etc. É realmente muito estranho que eu sinta isso sendo que ele supostamente nunca fez nada pra mim. É por isso que eu acho que fui estuprada e reprimi essa memória. Tenho duas lembranças que confirmam isso, mas eu não sei se elas são reais ou não. Além disso, eu fico atenta sobre qual lugar da casa ele está para eu ver qual a melhor hora pra sair. Isso mesmo, eu sou impedida de andar livremente na minha própria casa, para não ter que lidar com os olhares e sorrisos repugnantes que ele direciona á mim. Mesmo que essas lembranças sejam coisa da minha cabeça, os olhares e sorrisos definitivamente não são. Eu sei muito bem diferenciar um sorriso, um olhar normal, para um com segundas intenções. Mas eu tenho medo. Mesmo estando tudo bem na minha cara eu tenho medo de que eu esteja apenas sendo paranoica. Tenho medo de que ele seja louco/sociopata (que é o que parece). Tenho medo de procurar um terapeuta ou ago do tipo e descobrir que essas memórias são verdadeiras. Eu já tenho que lidar com a depressão e com a fobia social, não sei se conseguiria lidar com um estupro, ainda mais vindo do meu próprio pai. Além disso, após três anos ter que aguentar o inferno que é a depressão eu finalmente contei á alguém que prometeu me levar no psicólogo, mas estou desistindo da ideia de ir porque tenho medo de que o psicologo pergunte como é a minha relação com meus pais e descubra que eu sofri um abuso. Porque não faz sentido nenhum ele nunca ter feito nada pra mim e eu simplesmente tenha passado a ter nojo dele, concorda? É por isso que eu acho que sofri algo e reprimi a memória. Minha mãe diz que éramos próximos quando eu era nova, que eu o abraçava quando chegava do serviço mas eu não me lembro de nada disso. Se eu não tivesse sofrido nada eu provavelmente iria querer me aproximar dele, é assim que filhos normais agem. Mesmo que o pai tenha uma personalidade de merda os filhos querem seu amor, sua atenção. Eu sinto falta de um pai, eu quero um amor paternal, mas não o dele. Não faz sentido eu sempre ter sentido indiferença, nojo, falta de afeição sendo que eu não sou uma pessoa ruim.
Não quero que ninguém saiba sobre isso, não quero polícia, quero apenas que esse cara suma da minha vida. Não morrendo, mas voltando para a terra natal dele e nunca mais aparecendo.
Meus pais não se amam e eu me pergunto porque não se separam logo. Meu pai não é um bom pai, ele é ausente, me bota pra baixo, não serve para absolutamente nada. Ele não tem dinheiro e nós não somos próximos, porque eu sou o que faz com que ela continue com ele sendo que ele não trás nenhum benefício?
Eu não aguento mais. Tenho medo de que minhas suposições estejam certas, mas também tenho medo de que elas estejam erradas e eu sinta nojo por um homem que só é estranho, o que faria de mim uma pessoa ruim. Tenho medo de saber o que aconteceu no meu passado. Não quero ter que deixar de tratar minha depressão por causa disso. Pelo jeito vou ter que esperar mais três anos para completar 18 e ir ao psicólogo sozinha sem ter que depender de alguém, sem que esse alguém interfira no meu passado e presente. Mas eu não vou aguentar mais três anos sozinha essa depressão. Não vou aguentar o vazio, solidão, tristeza, desânimo e pessimismo que ela me deu. Não vou aguentar a personalidade recatada, tímida, calada e ansiosa que ela me deu - o que me traz muitas dificuldades para lidar com as pessoas -. Não vou aguentar mais dois ou três (caso eu repita na escola) na escola passando vergonha no intervalo por estar sozinha ou quando o professor passa algo em dupla e eu não tenho ninguém para fazer, as pessoas devem me achar uma coitada. Não vou aguentar mais isso... Por favor, me ajudem. O que eu faço?

Texto desabafado por Desgraçada , em Segunda, 14 de Dezembro de 2015
ÁUDIO: OUVIR O TEXTO - clique em OUVIR O TEXTO e aguarde um pouco - Pausar - Retomar - Parar
Quanto maior o texto, mais tempo demora a começar a leitura. Por favor aguarde.
  • Você já leu todo o texto? Por favor vote este desabafo, clicando nas estrelas. Desgraçada agradece.
Atualmente é quase humanamente impossível ler todas as novas confissões que são publicadas diariamente. Se você considera que esta confissão é ilegal, não está de acordo com as regras (*) do Eu Confesso [* regras listadas na página de publicação de confissões] ou ultrapassa todos os limites do razoável, por favor relate, utilizando o link REPORTAR ABUSO. Obrigado pela sua colaboração.
[ Tags ] leia mais sobre: abuso     pedofilia     indecisão/confusão     medo     Depressão    

Comentários ao Desabafo de Desgraçada

Por favor seja construtivo nos seus comentários.

0
0
0
0